thumb leoge

Nós não precisamos comprar voto para vencer, diz Leonildo Rosas

Secretário de Comunicação rebate acusações de Tião Bocalom

Depois das duras críticas feitas pelo ex-prefeito de Acrelândia, Tião Bocalom (DEM), que afirmou ter perdido a eleição em 2012 para a prefeitura de Rio Branco por conta da compra de votos pela Frente Popular, o secretário Leonildo Rosas (Comunicação) diz que o governo não precisa recorrer a estas práticas. Segundo ele, a legitimidade popular respalda o grupo político a vencer nas urnas sem a necessidade de métodos ilegais.
 
“Todo mundo sabe que foi na campanha do Bocalom ano passado que sumiram R$ 300 mil do caixa do partido dele. É de se questionar onde está este dinheiro. Foi o grupo político do Bocalom que no passado instituiu a compra de votos no Acre”, diz Rosas.
 
Para o secretário, acusar a Frente Popular de comprar voto em 2012 é a estratégia de Bocalom para justificar a sua incapacidade de manter a liderança nas pesquisas.
 
“Ele subestimou a capacidade das pessoas, do eleitor, de nosso candidato Marcus Alexandre, e depois necessitar atacar a honra das pessoas para justificar seu fracasso”, declara o secretário.
 
Sobre as críticas do ex-prefeito de que a Frente Popular vive um momento de crise por rompimentos e constantes brigas de espaço, Leonildo Rosas afirma que as divergências são normais dentro do bloco, mas que a união é a sua principal marca, responsável por assegurar as sucessivas vitórias no Acre.
 
O secretário ainda defendeu o governador Tião Viana (PT) pelas políticas em execução que, segundo ele, foca a melhoria da qualidade de vida da população mais pobre por meio de programas como Ruas do Povo e Cidade do Povo, além de fomentar a economia investindo em setores estratégicos para a geração de emprego e renda.

Deixe uma resposta