270117-politica-amaceleicao-tvgazeta

Oposição surpreende e vence eleição na Amac

Marilete Vitorino é nova presidente da associação

Religiosamente às 15:30, horário marcado para iniciar a eleição da nova mesa diretora da Amac, o prefeito Marcus Alexandre abriu a Assembleia Geral. Todos os prefeitos do Acre compareceram garantindo um dos melhores quóruns da história da associação.

Marcus Alexandre também sugeriu votação aberta e que o vice-prefeito de Jordão, Aldemir Figueiredo presidisse o processo eleitoral, já que ele era candidato de uma das chapas. E assim as propostas foram aceitas.

Em um clima de alfinetadas sobre regimento interno, iniciou a eleição. Foram anunciados os nomes dos candidatos das duas chapas concorrentes. Na chapa 1, concorreram o prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre para a presidência , e o prefeito de Porto Valter, Zezinho Barbary, na vice-presidência. Na chapa 2, para surpresa de todos a prefeita de Tarauacá, Marilete Vitorino concorreu a presidência e o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, ficou na vice-presidência.

Até 30 minutos antes da votação, Ilderlei Cordeiro era candidato à presidência da Amac, mas foi convencido de que o desgaste o levaria a derrota. Com a mudança na cabeça de chapa para Marilete Vitorino, os prefeitos que haviam negado apoio a Ilderlei voltaram atrás e garantiram o empate.

Com placar em 11 a 11, a maior idade entre os candidatos à presidência foi o critério de desempate usado para definir a votação. A chapa de Marilete e Ilderlei sagrou-se campeã.

“Nós estávamos reunidos e de repente perguntaram se eu aceitava, nem eu entendi isso aí, se eu aceitava esse desafio e no primeiro momento falei que não. Por que Tarauacá a gente está a pouco tempo, com muito trabalho, mas eles aceita! Aceita! Que as mulheres são muito fortes, e falei que aceitava”, explicou a nova presidente.

Nos bastidores, prefeitos da oposição se recusavam a fechar com Ilderlei. As costuras de última hora deram certo, e a estratégia de mudar a cabeça de chapa também. “A gente estava num entendimento, infelizmente teve a mudança do prefeito Zezinho (Porto Walter), a gente respeita, é democracia. Ficou a divisão e pra que eu não pudesse ir pra disputa e automaticamente perder pra idade, vimos outra pessoa que pudesse nos ajudar e trazer novas ideias pra nossa composição de direção”, disse Ilderlei.

Assim que foi selado o destino da Amac, alguns prefeitos usaram o microfone para pedir que a direção da entidade não seja tomada por partidarismos. O apelo foi repercutido pelo prefeito Marcus Alexandre, que até então presidia a associação.

“O que nós vimos aqui foi uma Amac dividida, cada um teve 11 votos, o desempate foi na idade. Eu desejo sucesso a Marilete e entendo o momento que a gente vive e eu espero que a Amac não esteja contaminada pelas disputas políticas. Ficou evidenciado aqui que um grupo se reuniu pra derrubar o outro, eu acho que isso não é bom”, disse Marcus.

Mesmo com as surpresas do dia, a nova presidente da Amac afirma que vai honrar com o desafio. “Eu não estava esperando isso, não estava vir e de repente assumir a presidência, mas uma coisa eu digo: vou estar preparada, com certeza”, concluiu.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*