Organizadores do ´Dia do Basta´ se unem aos grevistas da educação

Uma semana de greve e nenhum avanço foi obtido nas negociações

Uma semana de greve e nenhum avanço foi obtido nas negociações entre os sindicatos e o governo. Os trabalhadores continuam reunidos em frente ao Palácio Rio Branco. Nesta segunda-feira, 1º, foi mais um dia de mobilização da categoria.

A única novidade até o momento é que os organizadores do Dia do Basta, a mobilização que levou milhares de pessoas às ruas da capital, se uniram aos trabalhadores da educação. Eles planejam protestar em frente às secretarias de governo envolvidas nas negociações.

“Vamos fazer uma mobilização pela internet também, chamando alunos, chamando as famílias, chamando o máximo de pessoas possível. Isso é um momento histórico em que milhões de pessoas estão nas ruas, nunca a educação recebeu tanto apoio assim da sociedade brasileira”, declara o militante das redes sociais Armando Pompermaier, que mantém na internet o grupo de trabalho ‘acorda educação’.

Os trabalhadores reivindicam entre outros pontos reajuste salarial, reestruturação do plano de cargos e carreira, remuneração igual para efetivos e provisórios e realização de concurso público. Apenas neste último item o governo acenou positivamente.

Até agora o governo mantém a mesma posição adotada no início da greve. Está aberto ao diálogo mas qualquer demanda dos trabalhadores que possa onerar a folha de pagamento só poderá ser negociada a partir de novembro deste ano, para ser implementada no ano que vem.

“O problema é que nós queremos algo de concreto agora em 2013, tem que ter alguma coisa em 2013, nós precisamos até mesmo pela inflação que está ai. Então não dá para fazer uma negociação para ser atendido apenas em 2014, é esse o gramnde impasse da categoria”, afirma João Sandim, presidente do SINTEAC.

Segundo os sindicatos a adesão ao movimento de greve é superior a 90% em todo o estado. Uma nova reunião entre representantes do governo e sindicalistas estava prevista para a tarde desta segunda-feira.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*