0310-politica-segurancanaseleicaoes-tvgazeta

Policiais militares são orientados sobre atuação no dia das eleições

Em todo Acre, 1,3 mil policiais atuarão nas eleições

Nesta sexta-feira (03), policiais militares participaram de uma reunião para receber instruções sobre a atuação da Segurança Pública durante o domingo, dia de eleições.
Entre as orientações estão: a lei seca e a proibição da boca de urna.
Participaram da reunião promovida pelo comando da Polícia militar, no Teatro Plácido de Castro, representantes da justiça eleitoral, Ministério Público e Polícia federal. Cada instituição apresentou as principais demandas do dia, e como os policiais podem ajudar, no sentido de garantir a segurança nas eleições e a lisura do pleito.

No próximo domingo, além do efetivo normal da PM, mais 1300 policias vão estar nas ruas e próximos dos locais de votação de todo Estado. Segundo o comandante da PM, Coronel Anastácio, a tropa veterana conhece bem a missão, mas é sempre importante reforçar algumas orientações e também informar os policiais mais novos sobre os procedimentos. “É uma reunião de alinhamento de orientações, para que os policias possam tirar o maior número de dúvidas possível”, disse.

Entre os assuntos discutidos no encontro estava a lei seca que vai vigorar a partir do meio dia de sábado até às 8 da noite de domingo, dia da votação. Nesse período é proibida a venda e o consumo de bebidas alcoólicas.

O juiz eleitoral Leandro Gross, um dos três juízes que assinou a portaria, explica como deve ser a atuação da PM nesse sentido. “Nesse horário se os policias militares verificarem algum local que tenha a venda de bebidas alcoólicas essa pessoa vai responder por crime de desobediência”, disse o magistrado.

Em Rio Branco a praça da Revolução é um dos locais mais visados pelos militantes políticos em dia de eleições. A justiça eleitoral quer que os policiais tenham atenção redobrada no sentido de evitar aglomerações e consequentemente a boca de urna.

Os PM’s foram orientados a desde cedo dispersar os grupos que se concentrarem na praça. Quem desrespeitar o comando para sair vai ser conduzido pela Polícia Federal, vai responder pela infração e estará sujeito a pagamento de multa e prestação de serviços à comunidade.

Deixe uma resposta