Prefeitura prepara PL para que empresa permaneça responsável pelo transporte público

Caso não seja feito o aporte financeiro a empresa Rico Transportes, ela deixará a capital acreana

A prefeitura de Rio Branco prepara um projeto de lei para garantir o aporte financeiro a empresa Rico Transportes, responsável atualmente pelo transporte coletivo na capital acreana, pois segundo a empresa, ela está operando no vermelho, devido os aumentos constantes do diesel.

Além desse impasse, a empresa afirma que está difícil manter os 92 ônibus e os salários em dia dos trabalhadores, mesmo com o retorno das aulas, que antes da pandemia atendia uma média de 18 mil usuários por dia, e agora, com os casos e mortes por covid-19 estabilizados, o sistema voltou a ter uma média de 45 mil usuários dia.

Vale lembrar, que esses impasses e reclamações foram os mesmos argumentos das empresas que estavam antes no sistema.

Portanto, a Rico Transportes afirma que se a prefeitura não fizer esse aporte financeiro, ela não poderá cumpri o contrato e terá que ir embora de Rio Branco, mesmo com o número de passageiros aumentando no dia a dia, é ela que vem pagando os prejuízos.

Mediante a esse cenário, a prefeitura de Rio Branco enviará um projeto de lei para a Câmara dos Vereadores, para que o município possa repassar dinheiro a Rico, e assim cobrir os prejuízos. O valor pode chegara R$ 1,8 milhão por mês.

O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, afirma que tem dinheiro em caixa para bancar esse custo a mais, e vai repassar todo esse montante para a empresa paulista, e evitar que ela vá embora e o sistema pare de vez. Dessa forma, ela ficaria recebendo esse aporte até que a prefeitura contrate a nova empresa através de licitação.

“Nós estamos recompondo as diferenças, ela começou a trabalhar aqui com óleo diesel por R$ 5,40, e hoje, ele já está a R$ 7,26. Já tinha um prejuízo com o diesel, pois ela chegou aqui sabendo disso, pois eram poucos passageiros, a intenção dela era continuar trabalhando, mas depois vão aumentar os passageiros, e com isso, diminuir os prejuízos, e podendo até equilibrar, só que o combustível, peças, pneus, disparam, e nada mais justo que, a prefeitura não aumentasse o valor da passagem, a prefeitura irá bancar a diferença “, afirma Bocalom

O pedido para liberação do aporte a Ricco ainda não chegou a Câmara, deve ser enviado nos próximos meses, o prefeito já prepara a sua base para garantir a aprovação da matéria, que pode evitar um novo colapso no sistema, mas pode trazer mais um desgaste a Bocalom.

Com informações de Adailson Oliveira para TV Gazeta

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*