Prefeitura pretende criar 558 cargos comissionados

Prefeitura afirmou que não vai se manifestar e aguarda decisão dos vereadores

A Prefeitura de Rio Branco enviou na última quarta-feira, 12, o projeto de reforma administrativa para a Câmara de Vereadores para que possa ser apreciada e votada pelos parlamentares em uma sessão extraordinária, durante recesso parlamentar. O que está causando polêmica é a criação de cargos comissionados, que vão pesar na folha de pagamento, o aumento do salário dos vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretários.

A Prefeitura visa criar 506 cargos comissionados e mais 52 cargos em comissão de natureza militar. São 558 cargos que vão gerar custo mensal na folha de pagamento em mais de 2,5 milhões de reais. Os sindicatos e os vereadores de oposição estão reclamando da criação desses novos cargos porque vão pesar na folha de pagamento. A prefeitura justifica dizendo que existem muitos cargos na prefeitura que são terceirizados por empresas contratadas na gestão anterior e que esses contratos estão acabando e a tendência é que esse pessoal saia para que o prefeito possa colocar novos cargos.

Entre as secretarias, está a criação de duas subsecretarias, a Secretaria de Gestão Administrativa, e a subchefia para assuntos jurídicos. A Secretaria de Zeladoria mudou de nome para Secretaria Municipal de Cuidados com a Cidade. A Secretaria de Agricultura vai se chamar Secretaria de Agropecuária. A Prefeitura está criando, também, 130 funções gratificadas com salários que variam de R$1000 e R$1,500.

A Prefeitura afirma que por enquanto não vai se manifestar, aguarda os vereadores aprovarem ou não o Projeto de Lei.

Quem está gerando polêmica sobre a reforma administrativa são os vereadores de oposição e também os vereadores ligados aos sindicatos, que estavam esperando nessa reforma que a prefeitura anunciasse o reajuste para os servidores. Outra matéria que não chegou foi o aumento do salário do vereador, do prefeito e do vice-prefeito e dos secretários.

Por enquanto, não chegou nada para a Câmara de Vereadores até porque o presidente N. Lima, presidente da mesa diretora, já tinha afirmado que não haveria aumento para os vereadores. Ele esperava que chegasse também algum Projeto de Lei para aprovação do aumento de salários do prefeito, vice-prefeito e dos secretários, mas por enquanto não chegou nada à Câmara.

A TV Gazeta e o site Agazeta.net procuraram a assessoria de comunicação da Prefeitura de Rio Branco para se manifestar sobre o assunto, mas até o fechamento da matéria nenhuma informação foi obtida. O espaço segue aberto.

Com informações de Adailson Oliveira

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*