ptdobs

Relação PT e PCdoB volta a ficar azedada após declarações de comunistas

Em menos de uma semana, camaradas fizeram afirmações que desagradaram petistas

O relacionamento entre petistas e comunistas que já estava comprometido desde 2012, agora acabou de ficar azedada após declarações feitas recentemente por lideranças do PCdoB. Em menos de uma semana, os camaradas vieram a público com afirmações que contrariaram e desagradaram ao PT.

A primeira delas foi da deputada federal Perpétua Almeida na última sexta no Gazeta Entrevista. Ela saiu em defesa das desembargadoras Denise Bonfim e Maria Cezarinete após serem alvo de duras críticas por parte do senador Anibal Diniz (PT), que as classificou de “mal resolvidas” e “amarguradas”.

Anibal foi defendido pelo partido, com a ala feminina fazendo ato em apoio ao senador.  

“Não se desrespeita mulheres de luta”, rebateu a camarada. Ela pode ser a adversária direta de Diniz em 2014 na corrida pelo Senado. Já desta feita o fogo-amigo partiu do presidente do PCdoB, Moisés Diniz.

Ele usou a tribuna da Assembleia Legislativa para criticar “os dois pesos e as duas medidas” como os petistas dividem o bolo orçamentário do Acre. Enquanto a Comunicação recebe R$ 14 milhões, compara ele, a Defensoria Pública tem receita de R$ 3 milhões.

As declarações não agradaram os petistas. “Isso mostra o aliado de conveniência que é o PCdoB. É muito fácil ser aliado só nos bons momentos, é muito fácil pegar esta onda de manifestações e surfa”, diz um alto membro da Executiva Estadual do PT.

Os petistas afirmam que o PCdoB “cospe no prato que come”.

“Enquanto o Moisés era líder do governo ele não via nenhum destes defeitos, só agora que perdeu o cargo vai exteriorizar nossas falhas”, questiona a fonte.

Eles ressaltam que o PCdoB detém a maior quantidade de cargos entre os partidos da Frente Popular, com importantes secretarias. Entre elas está uma das mais importantes do governo Tião Viana, a de Desenvolvimento, Indústria e Comércio, capitaneada por Edvaldo Magalhães, marido de Perpétua Almeida.

Todas estas farpas ainda são fruto do cabo de guerra travado em 2012 pela prefeitura de Rio Branco. Perpétua lutava para ser a candidata única à prefeitura pelo bloco governista, mas foi vencida pela força do Palácio Rio Branco e dos petistas.  

Deixe uma resposta