Banner Rocha-e-Asfury

Segurança Pública: “apitos” geram polêmica na Aleac

Deputado Rocha questionou a eficácia desse “novo  método”

O clima entre os deputados Major Rocha (PSDB) e Jamyl Asfury (PEN) esquentou na sessão desta terça-feira, 13, na Assembleia Legislativa do Acre. Rocha criticou duramente o governo do Estado por conta da distribuição de apitos a população com o intuito de diminuir a criminalidade no Acre.

Rocha questionou a eficácia desse novo “método de segurança” reservado a população do Acre. “O Acre não precisa de apito, o Acre precisa de segurança pública. Em um assalto não apite, pois, corre-se o risco de ser esfaqueado ou alvejado. Qual a eficácia desse projeto? Apenas nos expor ao ridículo”, disse.

O parlamentar estava com um “kit de segurança” feito por ele, para justificar que os apitos distribuídos pela administração Sebastião Viana (PT), representam “mais uma ameaça que uma solução”.

Para Rocha, a iniciativa de distribuir apitos para população “envergonha o povo acreano”. Este governo tem tratado com descaso a área de segurança pública. A distribuição destes apitos só demonstra o descaso que o governador tem com a segurança da população”, disse.

Em contrapartida ao pronunciamento de Rocha, o deputado da base governista, Jamyl Asfury (PEN) afirmou que a oposição tenta fazer política com a fragilidade da segurança. “Junto com a crítica deveria vir uma sugestão de solução para o problema. A oposição tem a tendência a apresentar as falhas nisso e naquilo, mas não trás soluções para o problema de segurança que Estado enfrenta”, falou.

Quanto ao “Kit de segurança” feito por Rocha, Asfury foi enfático ao afirmar que o oposicionista deveria “ter colocado na caixa, um componente chamado gratidão”, haja vista que, segundo Jamyl, mais 200 candidatos que foram aprovados no concurso da Polícia Militar teriam sido convocados pelo governador Sebastião Viana, para reforçar o sistema de segurança.

O governista afirmou que a segurança pública não se resolve de uma única forma e que é preciso agir com responsabilidade. “Temos muitas coisas que precisam melhorar. Agora, colocar toda estrutura de segurança na baila é irresponsabilidade. As autoridades estão lutando para alcançar este objetivo. O Acre está lutando contra a criminalidade e a forma mais contundente foi à contratação de mais 200 policiais. Nós homens de bem venceremos o canto destas aves agouro”, finaliza Asfury.

Deixe uma resposta