130219-politica-pro-saude

Servidores do pró-saúde temem demissão

Sindicato da categoria busca saída junto ao governo

Os servidores do pró-saúde serão demitidos a partir do mês de março. A promessa do atual governo era que essa situação fosse revista.

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde já sugeriu uma solução, transformar a empresa em uma autarquia. Mas até agora, não houve diálogo com a equipe de governo. Diante disso, a categoria vai fazer uma assembleia geral nesta quinta-feira (14), no auditório do Conselho Regional de Farmácia. A intenção é deliberar sobre uma movimentação que será realizada na próxima semana.

“Hoje os servidores estão muito apreensivos porque chegando março já tem que demitir em torno de 30% dos trabalhadores e a gente fez o maior esforço para que judicialmente as demissões fossem suspensas até a entrada do novo governo”, afirma o Presidente do SINTESAC, Adailton Cruz.

Outros servidores da saúde podem ajudar nesse movimento para evitar demissões.

O presidente diz que infelizmente o governo anterior não teve o compromisso de regularizar o pró-saúde e a todo custo decidiu manter o processo de demissão. “Mas nós já fizemos estudo de viabilidade jurídica e econômica e está pronto para entregar para o governador, e prova que juridicamente e economicamente é totalmente viável transformar o pró-saúde em autarquia e salvar esses 800 pais de família que trabalham dia e noite pela melhoria de saúde da população do nosso Estado”, conclui.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*