130217-politica--sindicatodosmotoristas-tvgazeta

Sindicato dos Motoristas fazem lobby contra CPI

Pressionada por empresas, categoria teme demissões

O Sindicato dos Motoristas e Cobradores ameaça levar para a frente do prédio da Câmara de Vereadores os ônibus que fazem o transporte coletivo da Capital. O manifesto está marcado para as 8h30min dessa terça-feira.

Os sindicalistas querem uma reunião com os vereadores antes que a comissão comece as investigações. Como não obtiveram uma resposta vão partir para o movimento.
Segundo o presidente do sindicato, Marco Costa, o medo é que os parlamentares provem que existem irregularidades nos contratos assinados com a prefeitura e os trabalhadores sejam demitidos.

“Se estiver irregular e fizer outra licitação como vai ficar a situação dos pais de família que dependem dos seus empregos? Quem vai pagar a rescisão desses trabalhadores? Os vereadores precisam responder isso”, declarou Costa.

O sindicato sabe que existem irregularidades. Um exemplo é a falta de depósito do FGTS dos motoristas e cobradores. Desde 2009, eles denunciam que as empresas não repassam aos bancos o que é descontado do trabalhador.

O autor do pedido de CPI, vereador Roberto Duarte, disse que não sabia do pedido do sindicato e adiantou que mesmo com o manifesto a comissão vai começar as investigações.

“Precisamos passar a limpo essa história, se acabarmos com as irregularidades será bom para todo mundo. E, além disso, não há risco de perder o emprego, a prefeitura precisa manter o serviço”, explicou.

Para os vereadores, é preciso analisar com detalhes todas planilhas apresentadas. Nesse ano, por exemplo, os empresários apontaram que existe diretor ganhando como salário de R$ 60 mil, por isso a folha de pagamento está tão onerada.

Nesta terça-feira, a Câmara vai escolher os membros que farão parte da CPI dos Transportes Coletivos que vai investigar os contratos entre a prefeitura e as empresas do setor.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*