Tião Viana usa as redes sociais para prestar apoio ao Emílio Ribas

Médicos do hospital de infectologia cobram contratação de profissionais e recursos financeiros

O ex-governador do Acre pelo Partido dos Trabalhadores (PT) e médico infectologista, Tião Viana, usou suas redes pessoais na manhã desta segunda-feira (25), para se juntar aos médicos do Instituto Emílio Ribas, em São Paulo, pela abertura de um concurso público para a contratação de 258 profissionais.

“Tive minha formação no final dos anos 80 no nosso Hospital Emílio Ribas. Lá aprendi os primeiros passos de pesquisa, publicação científica, e tenho uma memória de tanta gratidão e reconhecimento do que pude aprender”, relembrou Viana.

No dia 15 de outubro, médicos e residentes do Instituto de Infectologia protestam em frente ao prédio da instituição, porque segundo os manifestantes, um processo seletivo estava previsto para ser realizado no dia 29 de setembro, mas foi cancelado pela gestão do governador João Doria, do PSDB.

Ainda segundo os médicos, o último concurso público foi realizado em 2015, e por isso, eles vem enfrentando problemas com o baixo efetivo de profissionais no hospital, além da falta de recursos. Durante os piores meses da pandemia de covid-19, o local chegou a funcionar exclusivamente para atender esses pacientes.

“O passo seguinte de tirar o fortalecimento do hospital é deixar as doenças negligenciadas, é esquecer a história das grandes endemias e pandemias, que tiveram tanta contribuição do Emílio Ribas. Ele não é só um patrimônio de São Paulo, é do Brasil e da América Latina”, afirmou o médico infectologista.

Instituto Emílio Ribas

O instituto é um hospital especializado no tratamento de doenças infecciosas com atendimento 100% voltado aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), além de contar com programas de formação de profissionais na área da saúde, com programa de Residência Médica em Infectologia e de pós-graduação stricto sensu multidisciplinar voltado à integração de pesquisa básica e a atividade clínica em infectologia.

Deixe uma resposta