140219-politica-emurb-cpi

Vereador pede CPI para apurar licitações da Emurb

Empresa é investigada por supostas fraudes em licitações

Os debates na Câmara de Vereadores foram intensos, mas o requerimento para instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar fraudes em licitação da Empresa Municipal de Urbanização (Emurb) foi aprovado e protocolado.

João Marcos Luz (MDB), autor desse pedido, declarou que são necessárias novas investigações sobre a empresa, já que há indícios de compras superfaturadas de britas e pagamento ilegal à empresa vencedora da licitação em mais de R$ 1 milhão. “O importante é que essa casa vai começar a agir, auxiliando o Ministério Público e a Polícia Judiciária, e pode ter certeza, no final nós vamos entregar um grande relatório que vai subsidiar e vai tentar amenizar a situação que hoje a Emurb passa uma situação grave de corrupção”, afirmou o vereador.

Nos próximos dias, o requerimento será encaminhado à Comissão de Constituição e Justiça e começa a tramitar na casa.

Para os vereadores de situação, não há necessidade da abertura de uma CPI, isso porque a Emurb já é investigada desde 2017, inclusive com pessoas presas pela Polícia Civil. Eles alegam ainda que não há provas de fatos novos que sustentem o inquérito na Câmara.

“Quando eu denuncio que está tendo uma corrupção em tal lugar eu preciso mostrar uma nota fiscal fria, um superfaturamento claro definido, eu tenho que mostrar uma coisa que seja clara, uma denúncia, um indicio de que ali está havendo uma corrupção”, disse o vereador Eduardo Farias (PCdoB).

O autor do requerimento acredita que há fatos suficientes para prosseguir com a CPI. “Existe fato recente de que a empresa Emurb estaria comprando brita 23% mais cara no mercado local, e segundo denúncia, estaria pagamento mais de 1 milhão de reais”, concluiu.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*