Enquanto o governador estava recebendo as loas do amigo Oswaldo D’Albuquerque em visita à maternidade, o clima esquentava com os procuradores do MPF. O MPF tenta um acordo já há algum tempo para evitar pedido de intervenção.

Em família

Situação estranha essa criada no Jordão. O prefeito Elson Farias (PCdoB) é cunhado do deputado Jesus Sérgio (PDT). Elson não chamou o cunhado deputado para discutir reeleição. Resultado: Jesus lançou o irmão para disputar a prefeitura com o cunhado.

Uau!

Os sem teto, acampados na frente da Assembleia Legislativa, receberam o governador, na frente do palácio com um apitaço por ocasião da passagem da tocha olímpica pela Capital. Tião Viana (PT), simplesmente, deu de ombros e disse: “Não sou candidato”.

Outra do gov

O governador não compareceu à sessão solene de apresentação da produção acriana de cadeiras de rodas, mas…tchan! Tchan! Tchan! Ligou pedindo para levarem os produtos e os cadeirantes que se apresentaram na Assembleia Legislativa, para uma demonstração exclusiva para ele, no gabinete civil.

Complica…

Essa história da polícia ir de madrugada, fortemente armada e com homens encapuzados, intimidar os sem teto que acamparam na frente da Assembleia Legislativa, só agrava a situação. Mesmo porque, se houvesse alguma suspeita real de venda de drogas no local, poderia ser confirmada pelas fitas das câmeras de segurança do local. Não convenceu!

cada vez…

Não basta terem derrubado as casas desse pessoal, terem impedido de entrar em casas que estão abandonadas, enfiar o secretário de Habitação, Jamil Asfury (PDT), na Assembleia e barrarem a CPI da Sehab? Ao virem a repercussão negativa que teve o fato de barrarem a CPI da Sehab, os deputados governistas correram gravar vídeos explicando seus motivos para postar nas redes sociais. Só piorou a cara deles na fita!

… mais

Em seguida realizaram uma sessão para aniquilar com o autor da proposta (Gehlen Diniz/PP). A oposição chegou a ameaçar um mandado de segurança para garantir a CPI. Mas, não satisfeitos, os governistas aprovaram uma comissão que vai “acompanhar” a investigação, sem nenhum poder de interferência no caso. Esse é o clássico caso do “quanto mais mexe, mais fede”!

Emergência?

Há contradições. Tem muita gente dizendo que esse alarme de que vai faltar água em Rio Branco é só para justificar verba extra e encobrir falhas técnicas. Dizem os técnicos que o que aconteceu foi o descaso em fazer manutenção em bombas velhas, o que, aliás, foi pedido por diversas vezes pelos funcionários que alertaram que se não houvesse manutenção, as bombas não aguentariam. Taí!

Emergência? 2

Além disso, o nível do Rio Acre ainda não baixou como em 2011, quando foi registrada a maior estiagem. Mas, sempre é bom refrescar a memória que em 2011, o governo do estado em vez de investir na solução do problema, se limitou a repassar dinheiro para os empresários que têm carros pipas. Difícil não pensar em cobras e lagartos contra esse descaso, viu?

Beleza

Mas, vá dormir tranquilo, acriano. Você pode estar desempregado e não ter o que comer, além de nenhuma perspectiva na vida, mas, já pode escrever acrEano. Rs

Exemplo?

Situaçãozinha constrangedora essa do procurador Geral do Ministério Público do Acre em elogiar a gestão do Governo do Estado na Maternidade Bárbara Heliodora. Constrangedora pelo fato de o próprio MP ter promotores que estão tentando mostrar o que acontece ali dentro.

Exemplo? II

Além de promotores, há procuradores do Ministério Público Federal que também estão no mesmo esforço. Na última sexta-feira, uma reunião tensa entre representantes do MPF e do Gabinete Civil do Governo do Acre expôs como a Maternidade Bárbara Heliodora está longe do padrão sueco.

Estratégia

Enquanto o governador estava recebendo as loas do amigo Oswaldo D’Albuquerque em visita à maternidade, o clima esquentava com os procuradores do MPF. O MPF tenta um acordo já há algum tempo para evitar pedido de intervenção. E a cada vistoria no lugar não se observa mudanças.

Além disso…

Essa questão de o procurador Geral elogiar gestão pública praticamente desautoriza o MPE a atuar no caso. É como se o chefe tivesse satisfeito com uma situação cujo subordinado está trabalhando para mostrar o contrário. Só falta, agora, o MP elaborar um plano de gestão “em parceira” com o Estado na área de Saúde. Caso isso ocorra, é melhor fechar o MP.

Sem manchete

Essa situação não vai ser resolvida com manchetes elogiosas ao Governo. São necessárias medidas urgentes. Não é brincadeira. E também não se trata de opinião da coluna. As mortes de bebês registradas recentemente dizem muito mais. Dizem tudo, na verdade.

Distância

O Ministério Público é um dos poucos órgãos de Estado em que o cidadão acredita. É preciso preservar essa relação. Tem gente no MP disposta a isso: de fazer um Ministério Público atuante e que cobre dos gestores aquilo que é uma obrigação. Tem gente no MP que estuda e que atua. Mas, tem gente que torna distante o MP do cidadão.

Sugestões, críticas e informações quentinhasdaredacao@gmail.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *