Intrigante é ver o movimento dos parlamentares: cada um com uma versão diferente para o problema sobre a Gol: um diz que cobrou da empresa melhores serviços; outro pediu explicações sobre custos; outro propõe reduzir ICMS para combustível.

Autêntica

A primeira dama do estado é uma mulher autêntica. Ela não gosta de mulheres de “conduta duvidosa” e não faz questão de esconder isso. Contam que em solenidades por aí, nem as cumprimenta. Que o diga aquela senhora que ocupa um cargo na administração pública e que seria chamada de Loura Sinistra pela saudosa Marlise Braga!

Faísca atrasada

A base de sustentação do governo sofre de uma indefectível perda de timing. A oposição faz denúncias que ficam sem respostas até… uma semana depois, quando então a base reage. Fora do tempo. Fora do tom. A defesa se perde e o governo atola.

Filósofo

O deputado Nicolau Júnior (PP) calado é um filósofo. Mas, cada vez que abre a boca… Hoje, enquanto o pau cantava por conta da possibilidade de CPI do programa Ruas do Povo ele assumiu a tribuna para falar de jogos estudantis.

Definido

O nome do candidato a prefeito de Rodrigues Alves, pelo PT, será o vereador Evanildo Almeida. Resta agora convencer os partidos aliados a apoiarem a candidatura. O PROS do ex prefeito Dêda, por exemplo, também tem um pré- candidato, o empresário Márcio Queiroz. Dêda e sua mulher a deputada Maria Antônia, são uma força política decisiva no município.

Preço…

A possibilidade real de um requerimento pedindo a instalação de uma CPI para investigar o programa Ruas do Povo (e na sequência, uma para apurar as obras da BR), mostram a política equivocada do Governo do Estado, ao desprezar a força do voto. Se o deputado Eber Machado (PSDC) não tivesse sido escorraçado da Frente Popular, a oposição jamais teria o número suficiente de assinaturas para dar entrada nesses requerimentos.

… de um equívoco

Com Eber Machado livre, leve e louco (de raiva), mesmo que o governo coopte o deputado Nicolau Júnior, como já fez anteriormente, a oposição dispõe dos 8 votos necessários. E, se bobear, ainda contará com o voto de Jesus Sérgio do PDT, o que racharia o partido, porque dificilmente Heitor Júnior seguiria a orientação do partido contra o Governo. Coisa que até o presidente Luiz Tchê sabe.

Autoria

Há uma guerra de autoria para se saber quem vai assinar qualquer mudança na qualidade de serviços da empresa aérea Gol Linhas Aéreas. Nesta terça-feira, a empresa resolveu partir para o enfrentamento e fez um tour pelos gabinetes de parlamentares federais do Acre: Alan Rick (PRP), Gladson Cameli (PP) e Jorge Viana (PT).

Autoria II

Em tempos nervosos como anda Brasília, toda empresa sabe que as questões técnicas estão em baixa: o que vale mesmo é se articular politicamente. Do ponto de vista técnico/empresarial nenhuma empresa em sã consciência teria voos para o Acre. Por uma questão elementar: não dá lucro. O problema é que elas são obrigadas a manter a linha para poder operar em trechos mais rentáveis.

Jogo

O que está em jogo? A imagem da empresa. Por menos expressiva que seja a bancada federal do Acre, ela pode ser barulhenta, sobretudo no Senado, onde o Acre tem assento privilegiado na cadeira de vice-presidente. Sem contar o fato de que os três senadores demonstram estar pouco satisfeito com o serviço oferecido ao cidadão acriano.

Gol

A Gol, cujo dono já frequentou editorias bem menos nobres que os cadernos de “Economia/Negócios”, não precisa ter mais notícias negativas no currículo. Ainda mais com uma linha que lhe dá poucos dividendos.

Cada um

O que é intrigante é ver o movimento dos parlamentares: cada um com uma versão diferente para o problema: um diz que cobrou da empresa melhores serviços; outro pediu explicações sobre custos; outro propõe reduzir ICMS para combustível para aviação e assim caminha Brasília. Faz parte.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *