Após reforma, Policlínica do Tucumã volta a funcionar e vira referência em casos de fibrose cística

Pacientes com a doença são propícios a desidratação, dificuldade em relação a desenvolvimento e na função pulmonar

Desde o início de setembro, a policlínica do Tucumã começou a realizar o atendimento para o ambulatório especializado em fibrose cística. Nesta segunda-feira (26), a unidade começou a receber novos equipamentos para ajudar no tratamento de pacientes com a doença.

A diretora geral da policlínica, Luciana Carvalho, disse que a região é um lugar carente em relação a atendimentos de fibrose cística, e que a unidade está voltada para tratar desses casos. “ Em setembro, vamos dizer que foi um plano piloto, aonde nós referenciamos a unidade pra esse atendimento ao qual era carente aqui”, afirma.

Segundo ela, a unidade está sendo preparada e estruturada para receber todas as crianças do estádio do Acre.

Sobre a fibrose cística

O fisioterapeuta da policlínica do Tucumã, Vilmar Bandeira, explicou sobre o procedimento de descoberta da doença. ““ A fibrose cística é detectada desde o teste do pezinho, é feito o teste do pezinho, deu alguma alteração é feito o teste do suor pra gente comprovar, ainda dando determinado é feito teste de genética”, salienta.

Os pacientes com a doença tendem a ser propícios a desidratação, certa dificuldade em relação a desenvolvimento e na função pulmonar.

Vilmar Bandeira falou ainda sobre os profissionais que cuidam desses casos.  “Vem toda e quipe multi. Tanto fisioterapia, médico, psicólogo, nutricionista, todos pra gente tentar dar uma qualidade de vida melhor pra esse paciente”, conclui.

Informações de Débora Ribeiro para TV Gazeta

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*