Baixo Acre, Purus, Juruá e Tarauacá/Envira regridem para bandeira amarela da covid-19

O Alto Acre foi a única regional do estado que não regrediu de bandeira

O Comitê de Acompanhamento Especial da covid-19 divulgou, por meio de nota técnica, nesta sexta-feira (10), a classificação de risco da doença no Acre, o qual as regionais do Baixo Acre e Purus, e Juruá/Tarauacá-Envira regridem no cenário epidemiológico e assistencial para o Nível de Atenção (bandeira amarela), acarretando mudança de regra para o funcionamento dos setores e atividades comerciais e sociais que passam a funcionar com lotação de 50% da capacidade de público.

Segundo o documento, a regional do Alto Acre mantém a classificação em Nível de Cuidado (bandeira verde), permanecendo, portanto, todas as medidas já em vigor desde a classificação anterior, ou seja, funcionamento dos setores e atividades comerciais e sociais com lotação de 80% da capacidade de público; devendo, no entanto, ser observado que as restrições para eventos permanecem vigentes.

Regiões

Alto Acre: Assis Brasil, Brasileia, Epitaciolândia e Xapuri – faixa verde;

Baixo Acre e Purus: Acrelândia, Bujari, Capixaba, Jordão, Manoel Urbano, Plácido de Castro, Porto Acre, Rio Branco, Santa Rosa do Purus, Sena Madureira e Senador Guiomard – faixa amarela;

Vale do Juruá e Tarauacá/Envira: Cruzeiro do Sul, Feijó, Mâncio Lima, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter, Rodrigues Alves e Tarauacá – faixa amarela.

Avaliação

A avaliação do coronavírus em um local é definida por quatro níveis de risco, sendo eles: bandeira vermelha – emergência; bandeira laranja – alerta; bandeira amarela – atenção; e bandeira verde – cuidado.

Para essa definição são verificados sete índices: isolamento social; notificações por síndrome gripal; novas internações por síndrome respiratória aguda grave; novos casos por síndrome gripal covid-19; novos óbitos por covid-19; ocupação dos leitos clínicos; e ocupação dos leitos de UTI.

Pandemia

Para determinar em que bandeira cada região está, é necessário observar três indicadores: a contaminação, responsabilidade social e a capacidade de atendimento do sistema de saúde.

Mesmo classificado em bandeiras mais brandas é importante ressaltar que a pandemia contra o coronavírus não acabou, todos os cuidados e as medidas estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) devem continuar a serem seguidas.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*