Bebê indígena morre vítima de Síndrome Respiratória Grave em Cruzeiro do Sul

Com essa informação, o Acre já contabiliza 12 mortes de crianças por essa síndrome

O município de Cruzeiro do Sul registrou nesta quinta-feira,30, a primeira morte neste ano, de uma bebê indígena de 1 ano, a Rauani Kaxinawá, por Síndrome Respiratória Aguda grave. Dessa forma, com essas informações, o Acre já contabiliza 12 mortes de crianças por essa doença.

A bebê era da região do município de Feijó e deu entrada no Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul, no dia 24 desse mês de junho, segundo o médico que a atendeu, o quadro dessa vítima já estava muito grave, apesar de ter ido para UTI, no qual ficou entubada por cerca de 2 horas, ela não resistiu a doença e foi a óbito.

“Ela internou com estado grave, nós tentamos  estabilizar mais o quatro da saúde dela, porém foi piorando cada vez mais até chegar ao ponto da necessidade de UTI. Devido as complicações pulmonares, essa criança veio a óbito às 11:30 de ontem”, explica o médico pediátrico, Rondinei Brito.

Em entrevista, ele também afirmou que o município já possui outras crianças internadas com essa síndrome, mas até o momento nenhum caso grave.

“Nós temos três crianças internadas com síndrome respiratória e todos estão estáveis, algumas crianças entraram com um quadro mais agravado, mas com medidas hospitalares mais intensivas, nós conseguimos estabilizar essas três crianças, e no momento. Nós estamos com seis crianças e todas estáveis”, conclui o profissional.

Com informações do repórter Gledisson Albano para TV Gazeta

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*