No Acre, Ministro da Saúde pretende conhecer a realidade das populações indígenas

Visita será até quarta-feira e terá como foco as chamadas doenças negligenciadas

Em visita ao  Acre, o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que permanecerá no estado até quarta-feira, 02, e que durante esse tempo pretende conhecer de perto a realidade das populações indígenas, dando uma atenção especial às chamadas doenças negligenciadas, como a doença de chagas, malária, tuberculose, hanseníase e leishmaniose. Além disso, reafirmou a importância da testagem da população em meio ao cenário pandêmico e reafirmou a chegada ao estado de 60 mil teste para covid-19 nesta segunda-feira.

Em entrevista concedida, nesta segunda-feira, 31, o Ministro afirmou que o objetivo de sua visita ao estado é “primeiro conhecer de perto a realidade das populações indígenas brasileiras; eu tenho feito isso, andado pelo Brasil, e aqui no Acre, uma região mais distante dos grandes centros urbanos, mas isso não significa dizer que não devemos ter a mesma atenção com as nossas comunidades indígenas da região do Acre, da matar Amazônia. Eu vou ficar aqui até quarta-feira [02] com o secretário Robson [Santos da Silva], secretário da SESAI [Secretaria Especial de Saúde Indígena] e com a doutora Socorro Gross, que é representante da Organização Pan-Americana da Saúde [OPAS] justamente para verificar se as políticas públicas elas têm concretude”.

Ainda sobre as questões indígenas, o Ministro vai cumprir uma agenda no Polo de Saúde Indígena, na Aldeia São Paulino, em Sena Madureira. A visita a esse espaço é para dar atenção a outras doenças que ficaram de lado com a pandemia da covid-19, mas que ainda afeta as comunidades. “Vou visitar alguns distritos indígenas. Há uma atenção especial às chamadas doenças negligenciadas, por exemplo, doença de chagas, malária, tuberculose, hanseníase, leishmaniose. O Brasil e o alguns país do mundo, sobretudo aqueles menos desenvolvidos, ainda convivem com essas doenças que já deviam ter sido erradicadas e o governo tem feito um esforço muito grande nesse sentido”.

Ao ser questionado sobre melhorias para questão da vacinação e testagem aqui no Acre, Marcelo Queiroga afirmou que o “Ministério da Saúde tem distribuído testes para o Brasil inteiro. Os testes são fundamentais para acompanhar a situação epidemiológica do país. Os testes rápidos de antígeno, estão sendo distribuídos para todos os estados e sobretudo para se utilizar na atenção primária saúde, porque essa variante Omicron, os casos eles são menos complexos do que da variante Gama”.

“O SUS tem uma organização tripartite. A União, os estados e os municípios. Claro que durante a pandemia o governo federal tem ajudado muito os estados e municípios. Chega hoje 60 mil testes, então esses testes vão chegar e devem ser distribuídos pela Secretaria Estadual para os diversos municípios, mas tão importante quanto distribuir o teste é notificar o resultado. Porque não adianta só distribuir teste, fazer teste e não informar o resultado, tem que informar o resultado e tem que isolar o indivíduo que dá positivo. Essa política visa acompanhar como está a pandemia e diminuir a circulação do vírus. Uma das maneiras mais eficientes de diminuir a situação do vírus você já sabe qual é. É a vacinação”, concluiu o Ministro da Saúde.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*