Polícia

PF deflagra operação contra fraudadores de auxílio emergencial

Ação policial ocorreu no município de Cruzeiro do Sul

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (15), a Operação Ófelos, cumprindo dois mandados de busca e apreensão, em uma atuação no combate às fraudes ao auxílio emergencial, em Cruzeiro do Sul.

As medidas são parte de uma Estratégia Integrada de Atuação contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial (EIAFAE), da qual participam a Polícia Federal, o Ministério Público Federal (MPF) o Ministério da Cidadania (MCid), a Caixa Econômica Federal, a Receita Federal (RF), a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas da União (TCU), na tentativa de identificar a ocorrência de fraudes e desarticular a atuação de organizações criminosas.

A linha de trabalho adotada importa que os pagamentos indevidos e as tentativas de cadastramento irregulares são processados dentro de ferramentas estabelecidas pela Polícia Federal, buscando identificar a atuação de organizações criminosas e conjuntos de fraudes estruturadas.

O objetivo da operação é desarticular ações que causam graves malefícios ao programa assistencial e, por consequência, atingem toda a população que necessita dos valores. Todos os pagamentos indevidamente realizados são objeto de análise por parte da Polícia Federal e das demais instituições integrantes da EIAFAE.

É orientado que àqueles que requereram e receberam as parcelas, não preenchendo os requisitos do Art. 2º da Lei nº 13.982/2020, que realizem a devolução dos valores, sob pena de estarem passíveis de ter sua ação objeto de investigação criminal.

O nome da Operação faz alusão à expressão grega “Ófelos”, que significa “benefício” em Grego, haja vista que a dupla envolvida nos mandados era beneficiada de fraudes nos pagamentos de auxílio emergencial (Lei 13.982/2020), constantes da Base Nacional de Fraudes ao Auxílio Emergencial (BNFAE).

Durante os trabalhos, a Polícia Federal conseguiu ainda recuperar uma motocicleta roubada que estava na residência de um dos suspeitos da ação.