Polícia

Adolescente morta teria sido julgada pelo tribunal do crime

Tia da vítima havia sido morta quatro meses antes

O corpo de uma adolescente de 13 anos identificada como Raquel Melo de Lima foi encontrado em uma cova rasa no Ramal do Pica Pau, na região do Amapá, no domingo (31). Segundo informações da família, ela teria sido julgada pelo tribunal do crime por fazer críticas à organização criminosa que comanda a região.

Ainda segundo informações da família, Raquel era inconformada com o assassinato de sua tia Lindinalva Melo Viana, também de 13 anos, que ocorreu quatro meses antes por integrantes da mesma facção. Lindinalva teria sido julgada pelo tribunal do crime pela acusação de traição. A família com medo não denunciou esse crime e até o momento seu corpo não foi encontrado.

Junto da mãe, Raquel saía de um culto quando as duas foram raptadas e levadas ao local do julgamento, em uma casa abandonada.

Alguns minutos depois a mãe foi liberada pelos membros da organização criminosa e Raquel ficou no local para receber sua sentença. Com medo, a mãe não procurou a polícia, pois acreditava que a filha ainda poderia estar viva, mesmo nas mãos dos membros da organização criminosa.

Segundo a Polícia Militar, que encontrou o corpo da adolescente, ela foi assassinada com facadas e tiros e provavelmente torturada.

Os militares conseguiram prender dois irmãos, Tyago da Silva Sabino, de 18 anos, e Yago da Silva Sabino, de 20 anos, que eram vizinhos das vítimas e confessaram a participação no crime, contando onde esconderam o corpo de Raquel.

A Polícia recebeu a informação de que existem outras covas na região do Ramal do Pica Pau, que é conhecido como “Cemitério do Crime”.

Segundo o delegado Carlos Cabral nas primeiras buscas nada foi encontrado, pois o ramal fica as margens do Rio Acre, é muito extenso e tem uma vegetação abundante.

“A polícia faz buscas pelos envolvidos no crime, mas é difícil fazer o trabalho com a mata a favor dos suspeitos. Vamos chegar até eles e quem saber descobrir mais sobre a ação da organização criminosa naquela região”, concluiu o delegado.