Polícia

Polícia Federal prende suspeito de tráfico em comunidade indígena

Organização criminosa ameaçava indígenas Camicuã

Nesta quinta-feira (29), a Polícia Federal deflagrou a Operação Camicuã, que teve como objetivo desarticular uma organização criminosa voltada ao tráfico de drogas e corrupção de menores com atuação na aldeia indígena Camicuã, localizada em Boca do Acre.

A ação conta com cerca de 30 policiais federais, que cumpriram quatro ordens judiciais de busca e apreensão domiciliar e um mandado de prisão preventiva contra o principal suspeito.

As investigações tiveram início em 2020 após a Polícia Federal receber informações de que um grupo criminoso havia se instalado na aldeia indígena Camicuã, ameaçando moradores locais com uso de armas de fogo, além da corrupção de menores indígenas para a prática do tráfico de drogas.

A operação contou com o apoio da Marinha do Brasil, Fundação Nacional do Índio (Funai) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

A Polícia Federal reforça que a atual pandemia não afetou as investigações e ações da instituição nos crimes de sua atribuição, mas que esta diligência policial foi cumprida em total observância às orientações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), sobretudo o uso de equipamentos de proteção individual para resguardar a saúde dos policiais e dos suspeitos.