Sinteac cobra Prefeitura sobre demandas para Educação

  • Reformulação do PCCR, negociação salarial e vale-alimentação são algumas das solicitações

Luanna Lins para Agazeta.net

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Acre (Sinteac) está em negociação com a Prefeitura de Rio Branco a respeito de demandas da categoria, como a reformulação do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR), mas até então nenhum encaminhamento foi dado. Os sindicalistas esperam respostas dos gestores desde agosto deste ano.

De acordo com o diretor de assuntos jurídicos do Sinteac, Ronilton Honorato, já foram feitas diversas reuniões, sendo implementada uma comissão para elaborar e reformular o PCCR dos trabalhadores da educação, mas ainda não receberam o retorno esperado. “Esperamos que a prefeitura e o governo deem alguma resposta quanto às nossas demandas encaminhadas há meses, pois até agora, nada de concreto foi definido”, alegou ele.

O sindicato informou que será realizada uma assembleia com a prefeitura na próxima segunda-feira, 22, às 16h, no Sindicato dos Servidores Municipais de Rio Branco (Assermurb), para pedir encaminhamento às pautas de negociação que a categoria demanda. Os trabalhadores também planejam se reunir com servidores do Estado para tratar de pontos que a prefeitura e o governo ainda não deliberaram.

O site Agazeta.net entrou em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura em busca de algum posicionamento, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria.

Abono salarial

O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, anunciou durante entrevista coletiva ocorrida nesta quarta-feira, 17, que professores e pessoal de apoio da rede municipal de ensino poderão receber aumento salarial ainda este ano. O abono vem do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (Fundeb).

A secretária de Educação do município, Nabiha Bestene, disse que ainda não tem um valor estimado por pessoa, mas garantiu que todos os servidores que estão nas escolas serão beneficiados. Segundo a gestora, foi feito um levantamento do pessoal da Educação que receberia esse abono, porém, o Tribunal de Contas do Estado (TCE-AC) foi consultado para validá-lo ou não.

Deixe uma resposta